quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

CARNAVAL

Carnaval

A própria origem do carnaval é obscura.

É possível que suas raízes se encontrem num festival religioso primitivo, pagão, que homenageava o início do Ano Novo e o ressurgimento da natureza, mas há quem diga que suas primeiras manifestações ocorreram na Roma dos césares, ligadas às famosas saturnálias, de caráter orgíaco. Contudo, o rei Momo é uma das formas de Dionísio — o deus Baco, patrono do vinho e do seu cultivo, e isto faz recuar a origem do carnaval para a Grécia arcaica, para os festejos que honravam a colheita. Sempre uma forma de comemorar, com muita alegria e desenvoltura, os atos de alimentar-se e beber, elementos indispensáveis à vida.

Com o passar do tempo, o carnaval passou a ser uma comemoração adotada pela Igreja Católica, o que ocorreu de fato em 590 d.C. Até então, o carnaval era uma festa condenada pela Igreja por suas realizações em canto e dança que aos olhos cristãos eram atos pecaminosos. A partir da adoção do carnaval por parte da Igreja, a festa passou a ser comemorada através de cultos oficiais, o que bania os “atos pecaminosos”. Tal modificação foi fortemente espantosa aos olhos do povo, já que fugia das reais origens da festa, como o festejo pela alegria e pelas conquistas. Em 1545, durante o Concílio de Trento, o carnaval voltou a ser uma festa popular.

O carnaval é um conjunto de festividades populares que ocorrem em diversos países e regiões católicas nos dias que antecedem o início da Quaresma, principalmente do domingo da Qüinquagésima à chamada terça-feira gorda. Embora centrado no disfarce, na música, na dança e em gestos, a folia apresenta características distintas nas cidades em que se popularizou.

O termo carnaval embora seja encontrado já no latim medieval, como "carnem levare" ou "carnelevarium", que quer dizer adeus a carne, resultando na palavra "carnaval", durante a Quaresma, era proibibo comer carne, foi então que proporão, já que iam ficar tanto tempo em abstinencia, por que não permitir que o povo cometesse algumas extravagancias antes, a véspera da quarta-feira de cinzas, isto é, a hora em que começava a abstinência da carne durante os quarenta dias nos quais, no passado, os católicos eram proibidos pela igreja de comer carne.

O dias exatos do início e fim da estação carnavalesca variam de acordo com as tradições nacionais e locais, e têm-se alterado no tempo. No Brasil, até a década de 1940, sobretudo no Rio de Janeiro, as festas pré-carnavalescas se iniciavam em outubro, na comemoração de N. Sra. da Penha, crescia durante a passagem de ano e atingia o auge nos quatro dias anteriores às Cinzas — sábado, domingo, segunda e terça-feira gorda. Hoje em dia, tanto em Recife (Pernambuco), quanto em Salvador (Bahia), o carnaval inclui a quarta-feira de cinzas e dias subseqüentes, chegando, por vezes, a incluir o sábado de Aleluia. Essa é um pouco da historia de feriado que para alguns serve para relaxar com a família, mais para muitos são dias de “vale-tudo”, e infelizmente entram para as estatísticas.


Texto: net e revistas.
Graficos : http://souapaixonadaporpontocruz.blogspot.com/2008/01/vrios-graficos-de-carnaval.html

2 comentários :

daniele dias disse...

ola rubia bom dia.
passei pra te desejar um otimo fim de semana de carnaval.
beijos

Luhh! disse...

OI VIM CONHECER SEU CANTINHO, E APROVEITO PARA TE CONVIDAR PARA A TROQUINHA DA JOANINHA, PASSE LÁ NO BLOG E CONFIRA.
BJÃO
LU

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails